Que Haja Luz em Berkeley


Não é a toa que é primeira do mundo


Fiat Lux ou "que haja luz", o motto de Berkeley, não poderia expressar melhor a realidade da universidade: tamanha é a reputação e excelência da instituição que seus estudantes são de fato abençoados por estudar em Berkeley. A universidade é a melhor instituição de ensino superior pública do mundo e é a sede de cursos magníficos das mais variadas áreas do saber nos quais estudantes extremamente qualificados estudam. Entretanto, hoje iremos falar de alguns aspectos que justificam a qualificação de Berkeley como uma universidade em que os estudantes estudam muito, mas também tem muita diversão e entretenimento.


Um dos portões de Berkeley


Cante comigo!


Uma das grandes tradições de Berkeley, e também uma maneira dos estudantes demonstrarem sua paixão pela universidade, é a canção de músicas. Em inúmeras circunstâncias, seja em partidas esportivas, seja na formatura de turmas de graduação ou pós-graduação, vários estudantes costumam se reunir em grupos para cantar músicas típicas da universidade em um gesto de amizade e compaixão. Entre as músicas mais populares estão "Big C", que fala da tradição da universidade em um tom motivacional para jogos esportivos, e também a música "Golden Bear", que tem como o tema da letra o urso, grande símbolo e mascote de Berkeley.



Banda do sistema de Universidades da Califórnia


Rivalidade histórica


Sabe aquela rivalidade que o time da sua cidade, escola ou clube tem contra um time x? Pois é, multiplique essa rivalidade por 5 e você tem a receita da rivalidade entre as universidades da Califórnia (incluindo Berkeley) e Stanford. A disputa entre as instituições surgiu muitos anos atrás e fomenta todo ano uma partida de futebol americano que atrai a torcida de inúmeros estudantes e funcionários. A rivalidade fica ainda mais absurda quando o sagrado machado entra no assunto, isso mesmo que você leu, um machado. Nessas partidas anuais, os times disputam a posse de um machado (que é basicamente um troféu). Toda essa história do machado começou por volta de 1900 quando estudantes de Stanford cortaram a cabeça de um espantalho vestido com roupas das universidades da Califórnia. Revoltados com o ocorrido, os estudantes de Berkeley roubaram o machado de Stanford, que roubou o machado de Berkeley em 1930. Toda essa confusão acentuou ainda mais a rivalidade entre as universidades e é por esse motivo que o machado é extremamente desejado por todos. Além disso, todos os anos, os estudantes da universidade que detêm o machado tem que levá-lo até o jogo de futebol americano para entregá-lo ao vencedor, ou mantê-lo consigo.



Machado histórico disputado pelas universidades



"Fazemos nossa própria formatura!"


Todos sabemos que o ano de 2020 foi extremamente difícil devido principalmente a proliferação do covid-19 e ao contexto de pandemia. Logicamente, durante o ápice da pandemia no ano, todos os eventos presenciais de Berkeley foram cancelados, arruinando a formatura dos estudantes universitários. Na maioria das universidades, as formaturas se consistiram de eventos monótonos realizados em plataformas de videochamadas, como o "zoom". Entretanto, os estudantes de Berkeley conseguiram, dentro do possível, melhorar a experiência de se formar em meio a uma pandemia. Sendo assim, os estudantes decidiram realizar a formatura no jogo "Minecraft". Para tanto, foi criada uma réplica do estádio da universidade, na qual os estudantes se reuniram e assistiram juntos a uma transmissão realizada com os professores e orientadores da universidade através da plataforma de streaming "Twitch". Apesar dos pesares, os alunos acharam uma forma mais descontraída de se formar em meio a uma realidade tão conturbada.



Formatura digital de Berkeley