Stanford, uma Universidade Única


Excelência Acadêmica e Mais Algumas Coisas...


Stanford é muitas vezes relacionada instantaneamente a pesquisa científica, excelência acadêmica, ótimo desempenho nos esportes e também ao fato de ser uma das melhores universidades americanas fora da Ivy League. Somente esses fatos já tornam Stanford como uma instituição única. Entretanto, há algumas peculiaridades da universidade que a diferenciam das demais instituições de ensino americanas, tal como seu lema, seu mascote e o grande número de bicicletas.

Stanford University



Um lema diferenciado


O lema de uma universidade consiste-se em uma frase curta que expressa, de maneira objetiva, os princípios que guiam e moldam as atividades e atuações da instituição. Na maioria dos casos, os lemas, ou "mottos", das universidades norte-americanas são escritos em inglês, grego ou latim. Entretanto, Stanford é uma das únicas universidades dos Estados Unidos que adota um lema originalmente escrito em alemão. O lema é, "Die Luft der Freiheit weht" que significa "o ar da liberdade sopra". No caso, o lema em alemão vem da frase em latim "videtis illam spirare libertatis auram", que significa "o vento da liberdade sopra". Entretanto, o presidente de Stanford na época, David Starr Jordan, adotou o lema em alemão após ler os textos de Ulrich von Hutten, um membro da Revolução Protestante alemã, que continha um erro na tradução do latim, visto que a frase deveria ser "Die Wind der Freiheit weht". Além de toda essa confusão, o lema de Stanford teve inúmeros críticos principalmente nos períodos das Guerras Mundiais. Mesmo com toda a contradição, a frase reflete fidedignmanente os ideais da universidade de buscar por liberdade e flexibilidade no ensino, na comunicação e nas suas atividades como um todo.


Símbolo de Stanford com o lema



A História do Atual (e Inusitado) Mascote


Algo que chama atenção de qualquer um que for assistir jogos universitários norte americanos tanto de basquete quanto futebol americano é o mascote de cada universidade. Os mascotes foram criados para representar as suas respectivas universidades em atividades, como em partidas esportivas ao integrar e encorajar a torcida, dando uma identidade à universidade.


Grande parte das universidades adotou como mascote algum animal, tal como tigres, leões ou até mesmo golfinhos, mas outras universidades optaram por algo no mínimo inusitado. Stanford, por muitos anos, tinha como símbolo, apelido e mascote "Indians". Entretanto, o apelido foi banido pela presidência da universidade pelo caráter discriminatório do apelido. A partir de então, passou a ser conhecida somente pela sua cor oficial, "Cardinal", mas nos anos recentes, Stanford tem sido representada pelo mascote "The Tree", que é utilizado pela universidade no seu símbolo, pois a cidade de Palo Alto, onde Stanford fica localizada, tem como símbolo a Redwood tree, conhecida no Brasil como "sequoia". A sequoia é muito presente na região e a adoção da árvore no símbolo representa a relação direta que Stanford tem com a cidade de Palo Alto.


Mascote"The Tree" de Stanford



Bicicletas!


Muitos estudantes menores de 18 anos aqui do Brasil sonham em morar nos Estados Unidos por um motivo: poder dirigir com 16 anos. Além disso, a grande frota de carros dos Estados Unidos contribui para que as pessoas passem a associar a vida universitária nos EUA á locomoção através de carros. Entretanto, é bem pelo contrário. Nas universidades, os alunos quase sempre têm tudo que precisam dentro do campus, e o que não houver na própria área da universidade, certamente estará nos arredores. Portanto, a maioria dos alunos costuma se locomover a pé ou de bicicleta. No quesito locomoção por bicicleta, Stanford é campeã disparada. A universidade é conhecida por ter um número enorme de bicicletas no campus, com cerca de 13,000 bicicletas para 16,000 alunos. Sobretudo, a direção da universidade busca constantemente melhorar as condições para os ciclistas na universidade, através principalmente do aprimoramento infraestrutural para reduzir riscos aos estudantes.


Bicicletas em Stanford