University of Toronto e seus cursos inovadores


Um Grande Diferencial Acadêmico


Se tivéssemos que listar aspectos fundamentais que diferenciam as universidades no exterior das universidades aqui no Brasil, o desejo das instituições de ensino estrangeiras de sempre se manterem atualizadas e a vontade de oferecer as grandes inovações do momento a seus alunos não poderiam ficar de fora. Nesse aspecto, a University of Toronto (U of T) se destaca não só no Canadá mas também no mundo inteiro!


Visando formar estudantes preparados para o mundo globalizado, a universidade busca sempre criar e reinventar seus cursos e "cadeiras" de modo que eles atendam as demandas profissionais atuais. Sendo assim, hoje iremos mostrar dois cursos inovadores e inusitados da U of T.

University of Toronto


Impressora 3D


"Mas um curso somente voltado para impressoras 3D?"


Isso mesmo! Atualmente, o mercado de impressoras 3D é um dos mais promissores do mundo; as impressões feitas em tais máquinas são a grande aposta para os setores de construção civil e design de materiais no futuro. Com novas estruturas poliméricas ainda mais resistentes e duradouras, é fato que daqui alguns anos iremos ver prédios feitos inteiramente em impressoras. Devido a tais aspectos, o mercado de impressoras 3D alcançou um valor de 51 bilhões de dólares no ano de 2020. Como a University of Toronto não é boba, a instituição já fundou o curso voltado só para impressoras 3D.


O curso é oferecido dentro da faculdade de engenharia e ciências no departamento de engenharia mecânica e industrial. Durante o processo pedagógico, os estudantes aprendem vários aspectos desde como operar a máquina até os princípios de seu funcionamento. Por fim, vale destacar que, no curso, os estudantes também aprendem sobre as diversas aplicações da impressão 3D em áreas como nanotecnologia, bioimpressão e design de tecidos.

Impressoras 3D na University of Toronto



Idiomas da juventude urbana do mundo


Tenho certeza que alguma vez na sua aula de português você já ouviu sua professora falando algo relacionado a "As línguas e palavras estão em constante transformação, uma vez que a comunicação é basicamente o reflexo das sociedades". Foi baseado nesta mesma tese que o curso de "Idiomas da juventude urbana do mundo" foi desenvolvido. Em meio a uma realidade repleta de novas gírias e expressões com sentido reformulado informalmente, o professor Adeiza Isiaka desenvolveu este curso para buscar compreender e explicar conceitos complexos da área da linguística e suas respectivas influências em contextos sociais e relacionamentos, visando, sobretudo, estudar as influências de línguas africanas e ibéricas na realidade social norte-americana.


Segundo o professor, o curso é de extrema importância para entendermos certos comportamentos humanos e a necessidade crescente de se inserir em ciclos sociais ou evitar relações com certas camadas sociais. De acordo com Adeiza, um exemplo da utilização da língua para evitar camadas sociais ocorre na Nigéria, onde jovens utilizam certas gírias para se distanciarem dos hábitos retrógrados e errôneos da camada mais velha do país. Como pôde ver, a inovação não se dá somente nas ciências exatas.